Vamos, GLORIOSO! Segunda-feira tem BOTAFOGO! #VamosFOGO (Botafogo de Futebol e Regatas)

Longe dos olhos da imprensa, o Botafogo fez no sábado à tarde, no campo anexo do Nilton Santos, o treino-apronto para a partida contra o Sport, no Recife.

Fechando a segunda rodada do Campeonato Brasileiro, a partida está marcada às 20h de segunda-feira, na Ilha do Retiro.

Valentim aproveitou a semana livre para definir a formação que mandará à campo sem, no entanto, revelar quem sai jogando.

O certo e que o técnico não poderá repetir a equipe que empatou em 1 a 1 com o Palmeiras na estreia da competição. Valentim equilibrou o time com uma trinca de volantes formada por Lindoso, Matheus Fernandes e Bochecha que não jogava uma partida desde fevereiro do ano passado, e fez um grande jogo contra um dos favoritos ao título mesmo com ausências importantes como João Paulo, Moisés, Renatinho e o Luiz Fernando.

Embalado pelas vitórias contra o Vasco e Audax-CHI, o Botafogo recebeu o Palmeiras em casa pelo Brasileiro e por pouco não venceu o jogo. Veja o que escrevemos no post de pré-jogo: Tudo pronto para a estreia no Brasileirão,  Botafog…

Saímos atrás no placar, com Guerra, que havia entrado no segundo tempo, colocando o time paulista na frente mas fomos buscar o empate, na base da raça, com Rabello.

Depois de muita espera, finalmente vimos um grande jogo do Botafogo. Mesmo com os quatro desfalques de peso, o time mostrou organização, vontade e equilíbrio tático como havia feito no jogo contra o Flamengo pela semifinal da Taça Rio. Um primeiro tempo muito bom e um segundo, aguerrido.

O Palmeiras começou tentando sufocar o Bota em seu próprio campo e quase toma o primeiro. O jogo seguiu equilibrado com lances de emoção para os dois lados e intervenções precisas de Gatito e Jailson quando exigidos. O Palmeiras forçava o jogo pela esquerda com Keno e Diogo Barbosa em cima de Marcinho enquanto o Botafogo, bem postado em campo com o trio de volantes, abusava das bolas altas sobre a área, principalmente com Valencia e Gilson pela esquerda, mas sofria do mal que acompanha o time desde o início da temporada: a falta de pontaria dos atacantes. O Bota esteve mais perto de abrir o placar mas o 0 a 0 permaneceu no placar.

Com banco qualificado, o treinador Roger Machado voltou do intervalo com Guerra no lugar de Lucas Lima. O jogo mudou para eles e já aos oito minutos o meia abria o placar. Keno lançou Dudu na entrada da área que ganhou na velocidade de Rabello. O zagueiro ficou perdido no lance e permitiu o giro do atacante. O capitão palmeirense serviu à Guerra de calcanhar e o meia completou para o gol tirando a bola do alcance de Gatito. O lance perturbou o Rabello que passou a ser vaiado pela torcida.

Tentando buscar o resultado, Valentim reagiu lançando mão de Marcos Vinícius, Kieza e Pimpão que entraram nas vagas de Matheus Fernandes, Bochecha e Leandro Carvalho. As mudanças empurraram o time para frente. Kieza perdeu chance clara de frente para Jailson ao chutar mascado mas aos 36 minutos, em novo levantamento na área palmeirense, a bola sobrou para Igor Rabello que furou o primeiro chute mas conseguiu acertar o segundo empatando a partida.

Arte: Gazeta Esportiva. Colocação com os resultados dos jogos pela 2a. Rodada, no sábado (https://www.gazetaesportiva.com/times/botafogo/)

Sobre as mudanças, assim falou Valentim após o jogo: “É um encaixe que eu gosto. Já havia feito antes quando o João Paulo ainda estava conosco. Gosto desse desenho e de variar: com a saída de um volante pode virar um 4-2-3-1, ou um 4-1-4-1 quando dois avançam e fica um na frente da zaga”.

Empatamos a primeira em casa e agora vamos buscar uma vitória fora contra o Sport. O adversário vem de derrota para o América-MG por 3 a 0 na estreia com três vacilos fatais na zaga, mas não vai facilitar as coisas jogando diante da torcida.

Para armar a equipe, Valentim conta Matheus Fernandes que viajou com a delegação mesmo sem ter treinado no sábado. Diferentemente, Renatinho, Luiz Fernando e Leandrinho ficaram no Rio apesar de terem treinado com o grupo. Já Leandro Carvalho, que sofreu uma lesão no menisco no último jogo, vai passar por cirurgia e deve ficar afastado por um mês se recuperando enquanto Moisés continua em tratamento da torção no tornozelo.

Quanto a Rodrigue Aguirre, o atacante vem treinando em separado e na próxima semana passa a treinar com o grupo se preparando para a estreia contra o Grêmio, dia 28, no Nilton Santos… mais »

 

Por: Felipao Bfr em Blog do FelipaoBfr
Anúncios
Após perder espaço na defesa com a volta de Carli, joia alvinegra vem sendo testada por Valentim em nova função durante os treinos e pode virar opção para esquema tático que usa trinca de marcação
Com moral internamente, Benevenuto pode voltar ao time em outra função (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
Quando perdeu Lindoso, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, para a final do Campeonato Carioca, Alberto Valentim anunciou que tinha quatro opções para a vaga aberta no meio de campo. O técnico do Botafogo não revelou nomes e acabou indo na bola de segurança, escalando Matheus Fernandes. Mas uma de suas opções era a improvisação de um zagueiro como volante.

Marcelo alterou o nome, pediu para ser chamado pelo sobrenome Benevenuto a partir da chegada do xará volante, ex-Vitória, e perdeu a titularidade para Carli. Mas internamente, nada mudou: o zagueiro de 22 anos, tratado como joia desde as categorias de base, continua com muito prestígio. A ponto de se pensar em utilizá-lo em outras posições para poder voltar ao time.


Valentim tem conversado muito com o zagueiro nessa tentativa de improvisação (Foto: Thiago Lima)

Valentim vem testando o zagueiro como volante nos treinos. Por ser um jogador rápido e de explosão, o técnico enxerga nele características compatíveis para exercer a função. E a formação atual, com a trinca de marcadores, naturalmente oferece mais espaço para jogar. Sem contar que outros da posição estão machucados, como por exemplo o xará Marcelo e João Paulo.

Mas a adaptação de um defensor no meio de campo não é algo fácil. O mais comum é ver justamente o caminho inverso: volantes, de boa estatura geralmente, que recuaram para a zaga e conseguiram se firmar. Aconteceu com Piazza, do Cruzeiro, na Copa de 70; com Edmilson, que foi convocado como zagueiro para a Seleção em 2002; com Galeano, ex-Palmeiras, no fim da carreira; com Marlon, ainda na base do Fluminense, antes de ir para o Barcelona; David Luiz do Chelse… mais »

Por: Felipao Bfr em  BotafogoDePrimeira
Valentim, Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
Comandante alvinegro diz viver melhor momento de sua carreira como treinador e diz aguardar OK do departamento médico para escalar Botafogo contra o Sport

Adotada nas partidas contra Audax Italiano (2 a 1) e Palmeiras (1 a 1), a formação com três volantes tem agradado a Alberto Valentim. Ele não encara tal posicionamento como uma estratégia defensiva e crê que o mesmo lhe dá oportunidades de variar o estilo alvinegro durante as partidas.

– Encaixe que eu gosto, havia feito antes quando o João (Paulo) ainda estava conosco. Gosto desse desenho e de variar: com a saída de um volante pode virar um 4-2-3-1, ou um 4-1-4-1 quando dois avançam e fica um na frente da zaga.

– As características me dão condições de mudar um pouquinho esse desenho e vou analisando também vendo os adversários, procurando o melhor encaixe para começar.

Valentim, perguntado se vive seu melhor momento como treinador, concordou e disse que o título confirmou a fase positiva. Mas tratou de dividir os louros da conquista do Carioca.

– Acredito que sim, coroou com o título. Vivi bom momento no Palmeiras, peguei a equipe em quarto e terminamos o campeonato em segundo, fizemos ótimas partidas. Agora, além das boas atuações, veio o título. Premia o trabalho, não meu, mas nosso – completou.


Confira outros tópicos:

Duelo com o Sport

Jogo muito difícil, já estamos conversando, vendo muitas coisas deles. Acredito que deva ter mudança desse primeiro jogo, não é fácil um time estrear perdendo de 3 a 0. A gente precisa ir muito preparado para esse jogo, que vai ser muito difícil.

Aguarda OK do departamento médico para definir escalação

Preciso definir a equipe esperando a liberação ou não do departamento médico (atualmente Luiz Fernando e Renatinho em transição). Ainda mais tendo uma semana cheia, gosto de aproveitar muito para ver nos treinos o desempenho.

Aguirre treinando com o time a partir de terça

Está na semana final da transição. A gente espera contar com ele na terça, com quem não jogar e quem jogar menos (contra o Sport). A gente chega de viagem e já treina. Nossa ideia é que ele se junte ao grupo, teremos terça, quarta, quinta e sexta, quatro dias. Vai ser interessante para conhecer um pouquinho a forma de trabalhar.

Botafogo sem favoritismo no Brasileiro?

Até falei contra o Vasco na final do Carioca que não queria jogar a responsabilidade para eles, seria até covardia da nossa parte. Mesmo com a maioria achando que o Vasco seria campeão, via um equilíbrio. No Brasileiro a gente vai jogo a jogo, é outro tipo de campeonato. São 38 finais de verdade. Você vai parecendo, crescendo, se preocupando a cada jogo… mais »

Bochecha realiza sonho na volta ao time e celebra entrosamento “com irmão”

Volante comemora entendimento em campo com Matheus Fernandes, fala do nível do Palmeiras, adversário de sua volta, e afirma que deseja continuar sendo conhecido pelo apelido

Promessa da base alvinegra, o volante Gustavo Bochecha, de 21 anos, teve de esperar 14 meses (436 dias) para voltar a atuar profissionalmente pelo Botafogo após grave lesão no joelho direito, sofrida em fevereiro do ano passado.

Após jogar por 24 minutos na equipe profissional em 2017 (sete contra o Rio Branco, em amistoso, e 14 diante do Macaé, no jogo em que machucou), o retorno de Bochecha foi justamente contra o time que ostenta o elenco mais caro do país, o Palmeiras, na última segunda-feira, no empate por 1 a 1.

Foi titular, ficou em campo por 64 minutos e não decepcionou. Animado com a boa atuação, revelou ter recebido elogios de amigos e fãs.

– Feliz em voltar a jogar depois de tanto tempo. Realizo um sonho de jogar um Campeonato Brasileiro, foi apenas o primeiro jogo e espero poder dar sequência ao meu trabalho. Recebi algumas mensagens. Fico feliz pelo carinho dos torcedores comigo, vou trabalhar para dar o meu melhor dentro de campo e trazer alegrias para todos eles.

 

Questionado se ficou tenso ao saber que jogaria após mais de um ano fora da equipe profissional, foi sincero. Depois deixou fluir.

– Olha, para falar a verdade eu estava mais nervoso no domingo, na véspera do jogo, bastante ansioso para jogar (risos). Na segunda-feira, eu estava bem menos nervoso.

Tratado como Gustavo nas escalações e no site oficial do clube, o garoto gosta mesmo é de ser chamado de Bochecha. Confira papo com o volante abaixo:


Como foi voltar e ter que marcar jogadores como Dudu, Lucas Lima e Keno logo no retorno?


São jogadores de qualidade, já passaram por seleção brasileira e são experientes. Mas não só eu, como meus companheiros conseguimos marcá-los e fazer um bom jogo.

O entrosamento com Matheus Fernandes, um grande amigo seu, continua afinado. Concorda?
Com certeza, o entrosamento com ele não é de hoje. Jogamos muito tempo juntos na base, sabemos a maneira que um gosta de receber a bola, onde o outro vai estar posicionado. Isso ajuda muito e quem tem a ganhar é o Botafogo. Tínhamos um sonho de jogar juntos na equipe principal, fizemos a primeira partida e espero que possamos jogar muitas vezes para ajudar o Botafogo. É a minha dupla e meu irmão… mais »

Por: Felipao Bfr em BotafogoDePrimeira
Ex-volante do Vasco se mostra muito animado com a possibilidade de atuar no Alvinegro e que vai esperar a oportunidade naturalmente: “Os meninos foram muito bem no último jogo”
Ao lado de Anderson Barros, gerente de futebol, Jean foi apresentado oficialmente na tarde desta quarta-feira como jogador do Botafogo. Sorridente, o ex-volante do Vasco se mostrou muito animado com a nova oportunidade no Rio de Janeiro, elogiou o ambiente do elenco e disse que chegou com muito mais vontade do que ano passado.

– Agradeci muito a oportunidade de estar aqui no Botafogo. Acho que é um momento muito importante para mim. No que o professor Alberto precisar, estarei preparado. Jogo mais como um primeiro volante. Venho com uma vontade muito maior do que a do ano passado. Estou muito feliz por esse momento.

Conhecido pela forte marcação, Jean foi o jogador com mais desarmes no Campeonato Brasileiro do ano passado com 114. Ele afirmou que não vai fugir de suas características, mas que é preciso melhorar em outros pontos.

– É uma característica minha desde a base, mas não podemos ficar estacionados. Os volantes no futebol moderno estão evoluindo. Meu forte é a marcação, mas vou saber o momento de sair jogando, de girar e vou adquirindo com o tempo. Hoje meu foco é no que faço bem. Espero que esse ano continue (fama de pitbull).


Confira os outros tótpicos da coletiva:

Chegar em um time campeão
Cheguei faz uma semana, mas parece que estou há mais tempo. O clima de amizade é muito grande. Fui muito bem recebido. Estava na reserva no último jogo e vi o pessoal saindo para receber as faixas… Me falaram: você já é do grupo agora, vamos com a gente. Isso te motiva para estar ali brigando por eles.


Jean vem treinando no Botafogo desde o fim da semana passada (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Período sem espaço no Corinthians

As coisas no futebol acontecem no tempo certo. Sem dúvida não era a hora no Corinthians, ali para conseguir uma vaga é difícil, assim como será aqui. Foi um tempo valioso lá e não fiquei parado. Treinei normalmente e conversava muito com o pessoal da comissão. Minha hora vai cheg… mais »

Por: Felipao Bfr em BotafogoDePrimeira
Principal reforço alvinegro, atacante uruguaio já vem treinando com bola, mas recondicionamento físico e precaução com joelho operado adiam previsão de estreia para a terceira rodada do Brasileiro

A estreia do Botafogo no Campeonato Brasileiro, no empate por 1 a 1 com o Palmeiras na última segunda-feira, a princípio marcaria também a primeira partida de Aguirre, principal contratação do Alvinegro para 2018. Quando foi apresentado no dia 16 de março, o atacante uruguaio previu um mês para ficar à disposição de Valentim, e o clube na época até chegou a receber uma oferta de R$ 400 mil para levar o jogo para Cuiabá.

Mas a previsão do jogador precisou ser adiada um pouco. Primeiro por precaução: por conta do joelho direito operado em dezembro, o departamento médico alvinegro não quer se precipitar para não correr riscos e fortalecer mais a musculatura local. E segundo: pelo seu condicionamento, pois não joga há quatro meses, e a preparação física faz um trabalho diferenciado para ele recuperar a sua melhor forma.


Aguirre ao lado de Marcelo, já chegou comemorando título no Maraca (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)A rotina de Aguirre tem sido entre academia e trabalhos com chuteira no gramado. Em fase final de transição, ele já está treinando com bola e será integrado ao elenco semana que vem. Depois de participar da festa do título carioca no Maracanã e em General Severiano, e após ser um dos modelos do clube no lançamento dos novos uniformes de 2018, o uruguaio só falta estrear em cam… mais »
Fonte: Felipao Bfr em BotafogoDePrimeira
Alvinegro encara um dos favoritos ao título de igual para igual e ganha moral para o Brasileiro. Com trinca de volantes, Valentim retoma velho estilo do time, mas dá mostras que pode ser mais ofensivo

 

 


Melhores momentos de Botafogo 1 x 1 Palmeiras pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro

Para quem acreditava que a conquista do Carioca tinha sido “sorte” e que o panorama era preocupante para o Campeonato Brasileiro, o Botafogo tratou de mostrar o contrário. Logo na estreia, encarou de igual para igual o Palmeiras, elenco mais caro do país e um dos favoritos ao título. E mesmo sem quatro titulares – Luiz Fernando, Moisés, Marcelo e Renatinho –, o Alvinegro saiu de campo lamentando o empate por 1 a 1 (veja os lances no vídeo acima), na última segunda-feira, no Nilton Santos.

E foi uma estreia com velha fórmula: a trinca de volantes de Ricardo Gomes e Jair Ventura. Valentim já tinha usado a formação diante do Audax Italiano no Chile, e desta vez iniciou o jogo com o meio de campo formado por Lindoso, Matheus Fernandes e Gustavo Bochecha, que não começava uma partida desde sua lesão em fevereiro do ano passado – o entrosamento dos garotos, campeões brasileiros sub-20, era nítido.

“Upgrade” na formação


Linha da trinca: volantes pressionavam saida de bola e tinham liberdade para atacar (Foto: Thiago Lima)

Porém, a formação de Valentim pode ser um “upgrade” do que foi o Botafogo em 2017. Se no ano passado era um time reativo, que jogava no erro do adversário, contra o Palmeiras a equipe criou muito mesmo com menos posse de bola: 44% contra 56%. Em compensação, com 12 arremates, teve o dobro de finalizações do que o Palmeiras e seis chances claras de gols. Com o trio em linha e com liberdade para atacar, o Alvinegro ganhou em marcação e qualidade técnica.

– Nosso desenho tático de ponto de partida era Gustavo (Bochecha), Lindoso e Matheus, nenhum primeiro volante de origem, talvez o Matheus. Pedi que fossemos organizados para termos equilíbrio e não perder qualidade. Fizeram bem – explicou Valentim.

O ataque é que ainda deixa a desejar na formação e voltou a passar em branco. Brenner tem atuado muito longe da área, mesmo antes de Kieza entrar como centroavante, e as pontas vivem de lampejos de Valencia e, atualmente, Leandro Carvalho. Com isso, o time acaba abusando do jogo aéreo: contra o Palmeiras foram 23 bolas alçadas na área pelo Alvinegro.

Quando Renatinho, que teve uma lesão leve na coxa esquerda, voltar a ficar à disposição, o meia deve pegar uma das três vagas dos volantes. Mas Valentim já viu que a trinca é uma alternativa para a sequência do campeonato. Se quiser manter a formação, o técnico tem ainda o recém-contratado Jean e o retorno de Leandrinho, que faz a função.

Moral para sequência difíci… mais »

Por: Felipao Bfr em  BotafogoDePrimeira
Treinador destaca número de finalizações do Alvinegro – 13 – e afirma que faltou ser cirúrgico para sair com os três pontos do Nilton Santos

No empate por 1 a 1 com o Palmeiras, nesta segunda-feira, no Nilton Santos, o Botafogo não teve grande atuação, mas foi combativo durante os 90 minutos e travou um duelo equilibrado com o adversário. Para Alberto Valentim, faltou ao seu time ser cirúrgico para sair com o triunfo.

– Sim, principalmente contra equipes muito fortes. Às vezes se ataca menos contra times de melhor qualidade. Finalizamos hoje 13 vezes, gostei muito do time. Achei que o time foi equilibrado nos dois tempos, foram bem parecidos. Apesar de chances mais claras no primeiro, achei que o time não deixou cair – afirma.

 

Alberto Valentim concede entrevista após o empate com o Palmeiras (Foto: Thiago Lima/GloboEsporte.com)

Valentim também abordou o reencontro com o Palmeiras, clube que dirigiu por 11 partidas no Brasileiro passado após a saída de Cuca.

– Muito feliz de rever amigos e jogadores que tenho carinho enorme. Foi muito legal. Relação muito bacana, e um clube pelo qual tenho muito respeito.

Confira outros tópicos:


Botafogo com a bola nos pés

Nossa ideia é que queremos fazer, independentemente de quem jogue, é uma equipe forte, que vai procurar jogar. Hoje jogamos bem, com a bola nos pés. Vamos tentar fazer isso em todos os jogos. A gente treina assim.


Satisfeito com o meio-campo

Nosso desenho tático de ponto de partida era Gustavo (Bochecha), Lindoso e Matheus, nenhum primeiro volante de origem, talvez o Matheus. Pedi que fossemos organizado para termos equilíbrio e não perder qualidade nossa. Fizeram bem.

Gol do Palmeiras

Preciso ver bem, com calma. A gente perdeu o primeiro lance, o segundo… Ver a qualidade do time do Palmeiras. Tiveram uma chance mais clara e fizeram. A qualidade do time adversário às vezes faz com que a gente não consiga marcar.

Comportamento após o gol

Não achei que a gente se abafou, não. A ideia de estarmos ganhando, perdendo ou empatando é ter equilíbrio. Lembro que Lindoso errou um passe no meio, mas era a jogada a ser feita, quebraria a linha deles. Achei o time organizado mesmo em desvantag… mais »

Por: Felipao Bfr em BotafogoDePrimeira