Igor Rabello e Carli erram no primeiro gol rival, enquanto goleiro bota para dentro no outro; estreante Luiz Fernando cresce junto com o time na etapa final

Melhores momentos: Botafogo 2 x 2 Portuguesa-RJ pela 1ª rodada da Taça Guanabara

Trinta e cinco minutos do primeiro tempo: no placar, Portuguesa 2 a 0. Os pouco mais de quatro mil presentes ao Nilton Santos já esboçavam vaias, pedidos por jogadores e elegiam culpados.

Mas, com crescimento coletivo na etapa final, o Botafogo lutou e conseguiu empate. Resultado ruim, entrega recompensada. Pelo menos na visão de Felipe Conceição.


Meio-campo desentrosado

Com o estreante Luiz Fernando aberto pela direita, e Rodrigo Pimpão, pela esquerda, o meio-campo alvinegro, agora sem Bruno Silva, demonstrou falta de entrosamento. Valencia, com decisões rápidas e pedindo a bola a todo tempo, era a exceção.

Para completar, erros bobos minaram qualquer tentativa de Felipe Conceição, em sua estreia, de construir um Botafogo organizado. O importante era virar ou pelo menos empatar.

Luiz Fernando em sua estreia pelo Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Gols bobos
Aos 9 minutos, Sassá, que não é aquele, abriu o placar para os visitantes após erro dos dois zagueiros. Carli permitiu a antecipação de Alexandro, Rabello ficou vendido, e Luan escorou para Sassá guardar.

Vinte e seis minutos depois, Sassá, com muito espaço, resolveu arriscar. Jefferson não foi com as mãos firmes na bola e botou para dentro.

 Gol da Portuguesa-RJ! Sassá arrisca o chute, Jefferson falha e deixa a bola entrar, 35 1º

Segundo Tempo: João Paulo cresce, e Luiz Fernando melhora

Tímido no primeiro tempo, Luiz Fernando trocou de lado com Pimpão. Logo em sua primeira jogada, deu passe de letra para Valencia, e, na sequência da trama, o chileno apareceu na área para quase marcar o primeiro.

João Paulo, outra figurada apagada nos primeiros 45 minutos, cresceu muito e foi o fio condutor de um Botafogo que buscava incessantemente o ataque.

O primeiro gol veio num pênalti infantil de Romarinho, que cortou com o braço cruzamento de Valencia que ele mesmo cortara erradamente. Brenner não vacilou.

O Botafogo se lançou, e a Portuguesa se encolheu, mas o chuveirinho, ora em cruzamentos de Gilson ora em levantamento de Pimpão era infrutífero.


Jovens incendiam o jogo

Com as entradas de Marcos Vinicius e do ensaboado Ezequiel, o volume aumentou. Ezequiel substituiu Pimpão, que não foi bem. Já Marcos entrou no lugar de Valencia, que cansou.

Marcos Vinicius manteve o nível do chileno e acabou premiado com o gol no fim. Ezequiel, por sua vez, mostrou que sua juventude pode ser muito útil ao Alvinegro.

Marcos Vinícius comemora o empate do Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Vaias moderadas

Como Felipe Conceição disse na entrevista coletiva, o resultado não foi satisfatório, mas a entrega e a busca incessante pelo gol mostram que não faltará luta ao Botafogo 2018.

A própria torcida gritou “queremos jogador”, falou em “time sem vergonha”, mas sempre timidamente. Deram a impressão de que terão paciência com o time.

Fonte: GE/Por Fred Gomes, Rio de Janeiro

Anúncios

 

Terça-feira é dia de estreia do Fogão na temporada 2018 #VamosFOGO (Botafogo F.R.‏ @BotafogoOficial)

O Botafogo faz hoje, terça-feira, a sua primeira partida oficial do ano. Enfrenta a Portuguesa às 21h30 no Nilton Santos, na abertura do Campeonato Carioca 2018. 
O Estadual é a primeira competição da temporada alvinegra que prevê ainda a Copa do Brasil, Brasileirão e Copa Sul-Americana já que a falta de ambição e de empenho em campo no final do ano passado nos tirou a possibilidade de disputar a Libertadores desse ano quando tudo indicava que a vaga estava garantida.

Clique no link e veja alguns dos nossos posts que contam essa história: Retrospectiva 2017: o ano em que o Botafogo começou empolgando a torcida e terminou numa completa decepção…

E o ano novo começa com grandes mudanças no clube com a posse do presidente eleito Nelson Mufarrej, do vice geral Carlos Eduardo Pereira, do vice de futebol Gustavo Noronha além da volta de Anderson Barros para a gerencia de futebol assumindo a vaga deixada pelo contestado (pela torcida) Antônio Lopes que preferiu deixar o clube diante da pressão. 
No comando técnico da equipe, outra mudança significativa. Dando seguimento à filosofia de prestigiar os profissionais criados em casa, o auxiliar Felipe Conceição assumiu a posição de técnico na vaga de Jair Ventura que preferiu se transferir para o Santos no começo do ano.

Fogão realiza apronto para a estreia no Carioca #VamosFOGO (Vitor Silva/SS Press/BFR)

Felipe (ex-Tigrão), começou a preparar o grupo para esta estreia com atividades técnicas com bola intercalados com preparação física específica desde o primeiro dia de atividade (04/01). Com isso, procurou entrosar o grupo de “veteranos” que permaneceu no clube com os jovens valores garimpados no mercado e as promessas oriundas da base
Nessa leva, chegaram os atacantes Leandro Carvalho (Paysandu) e Luiz Fernando (Atlético-GO), além do meia Renatinho (Paraná). O atacante Rony, que veio na negociação de Bruno Silva com a Raposa e chegou a ser anunciado pelo clube, encontra-se numa situação indefinida em razão da reclamação do clube japonês Albirex Niigata que alega ter contrato de empréstimo em vigência com o atleta, revelando um imbróglio sem tamanho com o Cruzeiro. 
Já o prometido camisa 9 que viria para preencher a lacuna deixada pelo saída de Roger, está em compasso de espera diante da falta de especialistas disponíveis no mercado que caibam no orçamento do clube. Falou-se muito em Gilberto, Kieza e Kaike mas nenhum deles se acertou com o clube.


Veja a nossa sequência de jogos na 1a. fase do Campeonato Carioca e Copa do Brasil

AMANHÃ – CAMPEONATO CARIOCA – 21:30
BOT × POR

20/01- CAMPEONATO CARIOCA – 17:00
FLU × BOT


25/01 – CAMPEONATO CARIOCA -19:30
MAC × BOT


28/01 – CAMPEONATO CARIOCA – 17:00
BOT × BVT


03/02 – CAMPEONATO CARIOCA – 19:00
BOT × MAD


06/02 – COPA DO BRASIL – 21:30
APA × BOT


21/02 – CAMPEONATO CARIOCA –
NIG × BOT


Dentro de campo, Conceição não deu pistas do esquema tático que utilizará na temporada mas procurou aproveitar a espinha dorsal da equipe deixada por Jair, com uma ou outra modificação. A principal delas é a volta de Jefferson como titular da meta alvinegra, decisão que vai de encontro à preferência esmagadora do torcedor alvinegro mesmo com Gatito Fernandez tendo sido um dos destaques do time na campanha do ano passado. A zaga foi preservada com Arnaldo pela direita, Carli e Igor Rabello pelo miolo e Gilson pela esquerda assumindo a vaga deixada por Vitor Luis que retornou ao Palmeiras.

No meio teremos as mudanças mais significativas que visam tornar as transições para o ataque mais ágeis (um dos problemas do ano passado), aproveitando as características dos recém-chegados. O volante Lindoso, antes homem-base no esquema de Ventura, deixa o time para a efetivação de Matheus Fernandes que passa a atuar ao lado de João Paulo com a função primeira de proteção à zaga. Seguem, mais adiantados um pouco, Valencia que não conseguiu se firmar no ano passado e o novato Luiz Fernando que ganhou a posição desde os primeiros treinos. 
Sem novidades, o ataque deverá ser formado por Pimpão e Brenner com grandes possibilidades de Leandro Carvalho tomar uma dessas vagas no decorrer da temporada tal o seu desempenho técnico nos treinamentos. Isso, claro, depois de regularizado junto à Ferj o que ainda não aconteceu. Poderemos ver ainda, no decorrer dessa primeira partida, o aproveitamento do jovem Ezequiel que foi a sensação do time no último jogo do Brasileirão do ano passado e a utilização do meia Marcos Vinícius que foi muito inconstante em 2017 alternando algumas partidas muito boas quando fez gols decisivos e outras muito ruins quando foi substituído ao término do 1o. tempo.

Amanhã tem jogo do Fogão contra a Portuguesa pela 1º rodada do Campeonato Carioca. Confira os números do confronto (Canal Premiere @CanalPremiere)

Já o adversário, oriundo da Ilha do Governador, deve dar trabalho no jogo já que vem motivada pela conquista da Copa Rubro-Verde disputada na semana passada – torneio promovido pela Portuguesa de Desportos-SP, no Canindé. 
A lusa carioca conta com velhos conhecidos da torcida alvinegra como o goleiro Milton Raphael e o atacante Alexsandro que já vestiram a nossa camisa em outras jornadas.

No confronto entre as equipes – 65 jogos até agora, o Botafogo tem esmagadora vantagem sobre a Lusinha. São 52 vitórias do Glorioso contra apenas 3 do simpático time da Ilha. O ataque alvinegro marcou 159 vezes contra 40 gols do ataque lusitano. As equipes empataram 10 vezes.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO X PORTUGUESA

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 16 de janeiro de 2018, terça-feira
Hora: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo

BOTAFOGO: Jefferson, Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson; Matheus Fernandes, João Paulo, Luiz Fernando e Leo Valencia; Rodrigo Pimpão e Brenner.

Técnico: Felipe Conceição

PORTUGUESA: Milton Raphael; Cássio, Luan, Marcão e Diego Maia; Muniz, Jhonnatan e Maicon Assis; Sassá, Alexsandro e Romarinho

Técnico: João Carlos Ângelo

Saudações a todos e fiquem à vontade para comentar

 Por @FelipaoBfr/Botafogodeprimeira.com

Nascidos com 24 horas de diferença e rivais desde a base, atacantes revelados por Remo e Paysandu se tornam aliados pela primeira vez no Botafogo. Mas serão parceiros ou concorrentes por posição?

N

Dá para brincar que Rony e Leandro Carvalho são rivais desde antes de nascer. O segundo acabou sendo mais rápido e veio ao mundo em 10 de maio de 1995, em Belém. Um dia depois, a mãe de Rony deu à luz em Magalhães Barata, no interior do Pará. Não demorou muito para a distância de aproximadamente 160 km entre eles sumir, mas a rivalidade continuou na capital do estado.

Atrás do sonho de virar jogador de futebol, Leandro Carvalho chegou ao Paysandu. Rony, por sua vez, ganhou chance no Remo. Pelos dois maiores clubes do estado, seus caminhos se cruzaram ainda nas categorias de base antes de serem revelados na mesma época, em 2014. O atacante do Papão foi o primeiro a estrear no profissional, mas o do Leão Azul foi o primeiro a se firmar titular.

Nos profissionais, só se enfrentaram uma única vez. Melhor para Leandro Carvalho: foi no dia 5 de abril de 2015. O atacante entrou aos 27 do segundo tempo, enquanto Rony foi titular. Os dois estiveram em campo juntos por 21 minutos e não fizeram gol, mas o Paysandu venceu por 2 a 0 no Mangueirão, pelo jogo de ida da semifinal da Copa Verde.

Leandro Carvalho ainda com cara de garoto pelo Paysandu (Foto: Akira Onuma/O Liberal)

No duelo de volta, só Rony jogou. Leandro Carvalho ficou no banco, e de lá viu o Remo devolver o placar e se classificar por 5 a 4 nos pênaltis. Mas o time acabou perdendo a final do torneio para o Cuiabá. No mesmo ano, os dois atacantes também se cruzaram em um 3 a 1 do Paysandu no Mangueirão, quando ambos foram reservas e só Rony entrou na partida.

Seus caminhos depois se separaram: Rony foi comprado pelo Cruzeiro, onde jogou só na base, foi cedido ao Náutico e depois vendido ao Albirex Niigata, do Japão, antes de ser contratado pelo Botafogo. Já Leandro Carvalho foi emprestado para Penapolense-SP, Tuna Luso-PA e Ceará até chamar atenção do Glorioso. Aos 22 anos, encontram-se do mesmo lado.

No Botafogo, passam de rivais a aliados e disputarão pela primeira vez a Série A de Brasileiro. Fora de campo, têm personalidades opostas: Rony é mais sossegado, daqueles que gostam de pescar, enquanto Leandro é mais agitado e carrega um histórico de indisciplinas fora de campo. Mas dentro das quatro linhas, têm estilos parecidos, de velocidade e drible.

– Minha relação com o Rony é muito boa. Mesmo antes dos clássicos, a gente conversava, brincava. Nunca deixamos de nos falar, temos uma relação muito boa até hoje. Fico feliz com a vinda e tenho certeza que ele nos ajudará muito aqui – vibrou Leandro Carvalho.

Também novinho, Rony em sua passagem pelo Remo (Foto: Akira Onuma/O Liberal)

Outro ponto em comum dois é que ambos estão com filhos recém-nascidos – Rony é pai de um menino, enquanto Leandro de uma menina –, que aumentaram a responsabilidade dos dois e deu juízo ao ex-Paysandu, segundo o próprio atacante já admitiu publicamente. Rony é só elogios ao conterrâneo, com quem projeta uma parceria de sucesso.

– O Leandro Carvalho subiu no Paysandu, e eu, no Remo. A gente já se enfrentou, e ele é um ótimo jogador. Daqueles que partem para cima e têm características boas. Espero que a gente possa se dar bem no Botafogo. Que possa ser uma grande parceria e dar títulos.

Mas por serem atacantes de lado de campo, será que formarão dupla ou virarão concorrentes por posição? Dúvida que só o técnico Felipe Conceição poderá tirar. Fato é que Leandro Carvalho continua a rotina de sair na frente do amigo e deve ser regularizado a tempo de jogar a estreia do Carioca. Rony, que chegou depois, acerta detalhes do contrato e ainda vai aprimorar a parte física.

Fonte: GE/Por Felippe Costa, Fred Gomes e Thiago Lima, Rio de Janeiro

Em jogo-treino fechado no campo anexo do Nilton Santos, técnico indica fim da formação com três volantes. Leandro Carvalho se destaca entre reservas, mas Alvinegro leva virada do Boavista no fim

A estreia do Botafogo na temporada será só na terça-feira, contra a Portuguesa-RJ, pela abertura do Campeonato Carioca. Mas pode-se dizer que o primeiro teste do Alvinegro versão 2018 foi nesta quarta-feira. Em atividade a portas fechadas no campo anexo do Nilton Santos, o novo comandante esboçou a equipe para começar o estadual em jogo-treino com o Boavista, que terminou com o placar de 2 a 1 para os visitantes.

Com maior concorrência em 2018, Pimpão saiu na frente na disputa (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Conceição pela primeira vez formou a equipe, e o GloboEsporte.com apurou que a formação com três volantes, armada com Ricardo Gomes e consagrada com Jair Ventura, está com os dias contados. O time jogou com Jefferson, Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Gilson; Matheus Fernandes, João Paulo e Valencia; Luiz Fernando, Pimpão e Brenner.

Com este esquema, a equipe venceu por 1 a 0, com gol contra em participação de Pimpão e jogada de Valencia. O técnico, porém, ainda tem dúvida no gol. Jefferson começou, mas Gatito foi escalado na metade final do primeiro tempo, ainda com os titulares.

Leandro Carvalho foi um dos destaques do Botafogo na atividade (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Ao todo, foram quatro tempos de 25 minutos cada, sendo os titulares nos dois primeiros e os reservas nos dois últimos. Na metade final, o time foi dividido com muitos garotos recém-promovidos, como por exemplo Ezequiel, Kanu e Helerson, e sofreu a virada.

Primeiro reforço para 2018 e apresentado oficialmente nesta quarta-feira, após o jogo-treino, Leandro Carvalho fez parte da segunda equipe e se destacou. O rápido atacante se mostrou insinuante e com boas jogadas. As ausências foram Lindoso, poupado com maior desgaste física, e Leandrinho, e fase final da transição após grave lesão no joelho.

Fonte: GE/Por Felippe Costa, Fred Gomes e Thiago Lima, Rio de Janeiro

Atacante chega ao Rio nesta quarta-feira e, se aprovado nos exames, será confirmado como o terceiro reforço alvinegro para 2018. Clube tenta fechar com Kieza e Renatinho antes de começar o estadual

No Botafogo versão 2018 saíram 14 jogadores, subiram quatro da base e contrataram três. Nas contas da diretoria, mais duas peças são suficientes para suprir as perdas por enquanto e fechar o elenco para o Campeonato Carioca. Após Leandro Carvalho, Luiz Fernando e Rony – que chega ao Rio de Janeiro nesta quarta-feira para fazer exames e assinar contrato –, Kieza e Renatinho devem ser os próximos anunciados. Ambos têm negociações avançadas com o clube.

Kieza já tem apalavrado um contrato de dois anos com o Botafogo, aceitou reduzir o salário e tenta conseguir a liberação do Vitória para poder se transferir para General Severiano. Embora seu atual vínculo com o Lesão tenha duração até dezembro de 2018, o clube baiano não deve colocar empecilhos. O Alvinegro trata com otimismo a negociação com o camisa 9, de 31 anos.

Anderson Barros tenta mais duas contratações antes do Carioca (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Renatinho também tem contrato até o fim da temporada e conversas adiantadas com o Botafogo. O meia, de 25 anos, estava no Paraná, onde foi artilheiro do time com nove gols na campanha do acesso na Série B do Brasileiro, mas pertence ao Mirassol-SP. Há sondagens do exterior, porém, caso não saia do Brasil até o dia 15, ele e seu representante darão prioridade ao Alvinegro.

– Definimos desde o início qual seria a nossa estratégia acreditando nesse planejamento. Trabalhamos nas contratações do Luiz Fernando e do Leandro Carvalho, assim como estamos trabalhando no caso do Rony. Quanto ao Kieza, nós já avaliamos, sim, mas o jogador ainda pertence ao Vitória. Temos definido, mas falar muito prejudica as nossa negociações. Espero que possamos finalizá-las em breve – despistou o gerente de futebol alvinegro, Anderson Barros.

Subiram da base:

Ezequiel (ATA)

Lucas Campos (ATA)

Helerson (ZAG)

Kanu (ZAG)

De contrato renovado, Gilson começará a temporada como titular da ala esquerda (Foto: André Durão)

Todas as contratações, fechadas ou em vista, são ofensivas. Há certa preocupação com a lateral esquerda, que perdeu o titular Victor Luis. O Botafogo chegou a fazer contato com Fábio, botafoguense declarado que pediu dispensa do Middlesbrough, da Inglaterra, mas o negócio foi considerado muito difícil. Segundo Barros, por enquanto não está nos planos reforçar a posição.

– Esse foi o primeiro momento e sabemos da nossa necessidade na lateral, mas também contamos com o Gilson e o Yuri, que estão correspondendo nos treinamentos.

As negociações por reforços para 2018 começaram a ser conduzidas ainda com Antônio Lopes e Cacá Azeredo. Após a saída dos dois dirigentes, Anderson Barros e Gustavo Noronha, novo vice-presidente de futebol, assumiram a responsabilidade. O Botafogo vem encontrando dificuldades no mercado especialmente para contratar um centroavante.


Relembre as negociações que não vingaram:


GILBERTO

Nome especulado no Botafogo desde a saída de Roger, Gilberto chegou a receber uma proposta oficial, e o clube até hoje aguarda uma contra-proposta. O atacante sempre deu preferência a uma oferta do exterior, mas segue livre no mercado. Porém, o Alvinegro vê a tentativa com pessimismo.


RAFAEL MOURA

He-Man ganhou força em General Severiano pela experiência e o faro de gol por grandes clubes, mas a negociação não avançou por divergências salariais. De saída do Atlético-MG, ele acabou acertando com o América-MG.

BERGSON

Apesar de mais barato, o acerto esbarrou na pedida do atacante, acima dos R$ 100 mil por mês. Livre no fim do ano, quando terminou seu contrato com o Paysandu, o atacante estava valorizado pelos 16 gols que o levaram à artilharia da Série B e acabou acertando com o Atlético-PR.

Gilberto saiu do São Paulo e segue analisando ofertas no mercado (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)


RILDO

Ex-Coritiba, o atacante ficou livre no mercado em dezembro e voltou a ser procurado pelo Botafogo. O Alvinegro apresentou uma proposta, mas Rildo pediu R$ 200 mil e não houve acordo. Ele acabou fechando com o Vasco.


RODOLFO

O atacante de 25 anos do Boa Esporte marcou 10 gols em 30 jogos na Série B e chamou a atenção do Botafogo, que estudou investir R$ 700 mil na compra de 50% dos seus direitos econômicos. Mas com a saída de Antônio Lopes, o negócio perdeu força.

HERNANE, ANSELMO RAMON E PALACIOS

Os três foram outros nomes que entraram em pauta recentemente, mas nenhum dos casos avançou a ponto de o Botafogo apresentar uma proposta oficial. Hernane segue no Bahia; Anselmo Ramon está de saída do Hangzhou Greentown, da China; e Cristian Palacios está sendo negociado com o futebol chinês.

Fonte: GE/Por Felippe Costa, Fred Gomes e Thiago Lima, Rio de Janeiro

Técnico conversa bastante com auxiliares Bruno Lazaroni e Fabricio Vasconcellos durante primeiros treinos do Alvinegro em 2018

Os três primeiros dias de trabalho de Felipe Conceição à frente do Botafogo mostram uma atuação compatível com o que o treinador prometeu em sua apresentação: muita motivação. Conceição tem sido intenso e procura deixar o grupo ligado durante todos os treinamentos.

Uma coisa chamou atenção: trabalhou com bola desde quinta-feira. Nos dois dias em que a imprensa teve acesso ao Nilton Santos, insistiu em um trabalho de pressão que visa o bom controle e a rápida recuperação de bola.


Fred Gomes
✔@fredgomes1985

Olha o time de colete preparando o ataque. #gebota

Tem dividido o elenco em dois grupos: um fica sob sua orientação e o outro é comandado pelos auxiliares Fabricio Vasconcellos e Bruno Lazaroni, com quem conversa constantemente.

Também fez ataque contra defesa à exaustão. Neste sábado, por exemplo, na última atividade do treino da manhã, separou o grupo em dois times de 12 jogadores.

Do lado esquerdo do gramado, Matheus Fernandes, João Paulo, Luiz Fernando, Pimpão e Brenner – estes de colete – atacavam contra Arnaldo, Carli, Igor Rabello, Gilson e Rodrigo Lindoso.

Pimpão parte para cima de Arnaldo no treino deste sábado (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)


Felipe fica rouco no sábado
Em todos os trabalhos que os repórteres puderam acompanhar, Felipe falava muito. Corrigia posicionamento, orientava jogadores que estavam a distâncias consideráveis de si e participava iniciando jogadas com passes ou lançamentos. Resultado: ficou com a voz rouca neste sábado, no fim do treino da manhã.

Olho no gol

Embora tenha trabalhado diretamente com os atletas da linha, já que Flavio Tenius é o responsável pela preparação de goleiros, Felipe não deixou de bater papo com Jefferson, Gatito, Saulo e André, jogadores da posição que têm treinado. Ao fim do treino da última sexta-feira, conversou em especial com os mais experientes.

Vale destacar que Felipe tem um abacaxi a descascar: começa o ano com Gatito, dono de um ótimo 2017, ou opta por Jefferson, ídolo alvinegro e um dos maiores goleiros da história do clube.

Felipe Conceição bate papo com Gatito e Jefferson (Foto: Fred Gomes/GloboEsporte.com)

Elogios de pupilo que o conhece há muito tempo

O volante Matheus Fernandes, que conhece Felipe Conceição desde as divisões de base e foi seu titular na campanha do vice-campeonato da Copa do Brasil Sub-17 2015, exaltou o trabalho intenso com bola, mas atentou: seu comandante não deixa de lado a questão física.

– Jogador gosta é de treino com bola, claro, mas ele trabalha treino com bola e parte física o tempo todo. A gente pensa que é só com bola, mas está correndo o tempo todo. Se pegar o GPS, as coisas estão batendo bem altas, como se fosse no jogo – elogiou.

Matheus disse que o estilo falante de Felipe tem agradado ao grupo e destacou a repetição como um caminho para a execução correta dos movimentos durante os jogos.

Felipe Conceição orienta time próximo a Matheus Fernandes (Foto: Fred Gomes/GloboEsporte.com)

– Estamos absorvendo bem, porque temos que treinar para fazer no jogo. Ele cobrando no treino, no jogo tudo vai sair naturalmente. O grupo é bem maduro, sabe o que quer e vai buscar coisas grandes esse ano.

Neste domingo, o Botafogo volta a treinar – às 9h, no Nilton Santos -, e o professor Felipe precisa de um repouso vocal para voltar com energia suficiente para deixar o elenco alvinegro motivado.

Fonte: GE/Por Fred Gomes, Rio de Janeiro

Artilheiro do Paraná na campanha que levou o clube de volta à elite nacional com nove gols, jogador de 25 anos também conversa com clubes do exterior

Depois de contratar o meia-atacante Luiz Fernando, ex-Atlético-GO, e Leandro Carvalho, ex-Paysandu, o Botafogo aponta para um novo alvo. Trata-se do apoiador Renatinho, artilheiro do Paraná na campanha que devolveu o Tricolor à elite nacional, com nove gols.

Renatinho pode pintar no Glorioso (Foto: Giuliano Gomes/PR Press)

Renatinho, de 25 anos, tem vínculo com o Mirassol-SP até dezembro de 2018. O atleta também recebeu sondagens do exterior, mercado que o atrai. Caso não saia do Brasil até 15 de janeiro, o jogador e seu representante darão prioridades a ofertas do futebol nacional.

Gol do Paraná! Renatinho cobra falta de muito longe aos 20 do 2º tempo

De chute potente, Renatinho fez o gol do Paraná em partida que eliminou o Flamengo da Primeira Liga 2017, nas quartas de final do torneio – após empate por 1 a 1 no tempo normal, o Tricolor avançou com vitória nos pênaltis. (veja o gol acima).

Renatinho, que se profissionalizou no Atlético-PR, interessa e muito ao Paraná, porém o clube curitibano vê dificuldade em disputar o atleta com propostas superiores.

Fonte: GE/Por Felippe Costa, Fred Gomes e Thiago Lima*, Rio de Janeiro/*Colaborou Fernando Araújo