O Alvinegro contava com a negociação para resolver parte de seus problemas financeiros

 

Crédito da foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Para o Botafogo estava tudo acertado. Os russos do Akhmat Grozny toparam pagar os 6 milhões de euros (cerca de R$ 26 milhões) pedidos pela multa rescisória de Igor Rabello, mas a vontade do zagueiro pesou mais. Aos 23 anos, o jogador preferiu seguir no Botafogo e só deixar o clube caso apareça algo realmente vantajoso.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

O Alvinegro contava com a negociação para resolver parte de seus problemas financeiros. Mas o time da república da Chechênia ficou longe de motivar uma mudança de ares do zagueiro no momento. A equipe de Grozny terminou a temporada na modesta nona colocação, o que fez Igor sequer chegar a ouvir os valores contratuais.

O time russo conta com outros três brasileiros no elenco. O zagueiro Rodolfo, ex-Fluminense e São Paulo; o meia Ravanelli, contratado ano passado junto à Ponte Preta; e o atacante Leo Jabá, formado nas divisões de base do Corinthians.

Com contrato até dezembro de 2021, Igor Rabello já disputou 81 partidas com a camisa alvinegra, fez 7 gols e foi campeão estadual este ano.

Fonte: Fábio Azevedo/FOXSports.com.br.

Anúncios

Campeão carioca, treinador comandou o Alvinegro em 25 partidas, com 11 vitórias, sete empates e mesmo número de derrotas

 

A aposta em Alberto Valentim deu certo até então, mas durou pouco. O treinador de 43 anos aceitou proposta milionária do futebol árabe e interrompeu passagem que durou pouco mais de quatro meses. O GloboEsporte.com tentou contato com o treinador, que está na Rússia assistindo à primeira fase da Copa do Mundo, mas ele não respondeu. O nome e o país do clube ainda não foram revelados.

Alberto Valentim já comunicou ao gerente de futebol do Botafogo, Anderson Barros de sua decisão. O Alvinegro ainda não confirma de maneira oficial o fim da passagem de Valentim pelo clube.

Alberto Valentim pode deixar o Botafogo (Foto: Rafael Ribeiro/Agência Estado)

Nos holofotes em 2017 pelo bom final de ano à frente do Palmeiras, foi o escolhido de Anderson Barros para substituir Felipe Conceição ainda em fevereiro. Respondeu rápido e, com um elenco desacreditado pela eliminação na Copa do Brasil diante do Aparecidense, conquistou o Carioca em abril.

Apresentado em 14 de fevereiro com a missão de recuperar um time que estava destroçado moralmente após péssimas participações na Taça Guanabara e na Copa do Brasil, Alberto deixa o clube com 11 vitórias, sete empates e mesmo números de derrotas.

O clube arábe será o terceiro de Alberto como treinador efetivo. Ele já havia comandado RB Brasil, em 2017.

Fonte: GE/Por Fred Gomes e Marcelo Baltar, Rio de Janeiro

 Matheus Fernandes faz bom ano pelo Botafogo e teve grandes atuações contra Bahia e Atlético-PR (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

 

Durante o período, Alvinegro se prepara para perder duas peças importantes diante do assédio europeu sobre Rabello e Matheus Fernandes; uruguaio tem chance de melhorar sua condição física

Como Alberto Valentim tem dito em suas últimas coletivas, o Botafogo divide em duas etapas a intertemporada provocada pela parada da Copa do Mundo: primeiramente um folgão de 10 dias e posteriormente 21 de trabalho, divididos em 27 sessões de treinamento. O técnico deseja que seu time se desligue do futebol durante o descanso e depois volte com tudo de olho no restante do Brasileiro e da Sul-Americana.

Os treinos serão realizados no Nilton Santos, e a concentração se dará em hotel próximo ao estádio, onde almoçarão e descansarão em trabalhos .

Possíveis perdas: Igor Rabello e Matheus Fernandes

O Botafogo pode perder duas de suas joias na janela de transferências internacionais. Observados por europeus desde 2017, o zagueiro Igor Rabello e o volante Matheus Fernandes novamente estão sendo monitorados de perto por clubes de lá.

Rabello foi sondado por russos no início do ano e em maio. Já Matheus esteve sob os olhares de representantes de Arsenal-ING e Villarreal-ESP. O lateral-direito Marcinho também é alvo de consultas, mas não está tão cotado para sair quanto os outros.

Ciente das possíveis baixas, o Botafogo contratou dois volantes: Marcelo, no início do ano, e Jean, em abril. Para a zaga, trouxe Yago.

Igor Rabello é um dos destaques alvinegros, disputou todos os jogos do time no ano (32) e fez quatro gols (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Hora de Aguirre crescer

Reforço mais badalado pelo Botafogo para 2018, Rodrigo Aguirre demorou a estrear. Em fase final de recuperação de uma operação no joelho direito, ele chegou ao Brasil em 7 de março, mas só estreou em 14 de maio, entrando aos 33 minutos do segundo tempo da vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense.

Até agora são sete jogos, três como titular e nenhum gol. Vale destacar que ainda não participou integralmente de uma partida.

Aguirre ainda não fez partida brilhante pelo Botafogo (Foto: Marcelo de Jesus/Agência O Globo)

A operação no joelho à qual foi submetida em dezembro o impediu de realizar pré-temporada. Os próximos dias, portanto, serão fundamentais para ele tentar se aproximar do nível físico de seus companheiros.

– Imagine um jogador que vem de cinco meses sem jogar e entra no meio do campeonato sem pré-temporada. Talvez essa parada seja melhor para ele do que para os outros jogadores – afirmou Valentim, no último dia 8…. mais »

 

Fonte: GE/Por Fred Gomes, Rio de Janeiro

Treinador lamenta chances perdidas no Nilton Santos, mas valoriza resultado antes do recesso para a Copa do Mundo

 

Melhores momentos: Botafogo 2 x 0 Atlético-PR pela 12ª rodada do Brasileirão

O técnico do Botafogo, Alberto Valentim, afirmou que a equipe poderia ter saído com uma goleada do Estádio Nilton Santos, não fossem as chances perdidas pelos alvinegros no segundo tempo. Ele lembrou que a vitória por 2 a 0 – gols de Lindoso, de pênalti, e de Renan Lodi (contra) – é importante para a classificação e disse que a paralisação em função da Copa do Mundo trará benefícios.

– Vitória superimportante. Hoje conseguimos jogar bem, controlar, fazer com que o Atlético tivesse poucas chances claras. As chances perdidas no segundo tempo. Poderíamos ter saído com uma goleada, mas estão todos de parabéns. Falei no intervalo que poderíamos ter feito mais já no primeiro tempo.

Vitória muito importante para a nossa classificação. Viver jogo a jogo. Fizemos 1 a 0, conseguimos controlar bem. Fizemos com que Atlético tivesse pouquíssimas chances claras

Sobre o recesso até julho – o próximo jogo será contra o Corinthians, no dia 18 do próximo mês -, Valentim disse que trará benefícios:

– Essa parada vai ser importante para descansar o time. Tem o lado mental e o lado emocional.

Confira os melhores trechos da coletiva de Alberto Valentim:

Estratégia


Primeiro queríamos posicionar o nosso desenho ofensivo, mas atacar muito rapidamente como uma corrente. No segundo tempo, a ideia era que continuássemos a marcar. Sofremos um pouquinho de não recuperar a bola, mas gostei muito da equipe.

Entrada de Luiz Ricardo

Marcinho vinha num desgaste muito grande, e o Luís vinha muito bem nos treinos.

Qualidade

Procuramos jogar, marcamos com qualidade. Vínhamos recuperando isso nos últimos jogos.

Erros de finalização

Em algumas jogadas acho que tivemos falta de sorte, mas já falei que temos cobrado mais frieza e tranquilidade na hora de finalizar.

General

Rabello jogou todos os jogos, faz gols na frente e com muita qualidade na fase defensiva. Lógico que vai chamar atenção. Falei que se pintar uma possível venda que vá ser boa para o clube e para os jogadores, a gente não tem direito de segurar.

Após recesso

Temos que buscar o número máximo de vitórias aqui e tentar buscar algumas fora de casa. Vamos treinar tudo. São 10 dias de folga. Vamos ter 21 dias de trabalho e 27 sessões de treino. Vou voltar a massacrá-los no bom sentido na parte tática, técnica e nas fases ofensiva e defensiva.

Ajustes

A fase ofensiva corrigimos alguns posicionamentos, dos volantes e do Léo, e dos atacantes de beirada. A gente conseguiu fazer bons jogos. O time voltou a ser forte fisicamente, voltou a ser organizado. Pegamos um campo muito bom hoje. Treinamos ontem, e eu citei aos jogadores que tínhamos de aproveitar a qualidade do nosso campo… mais »

 

Fonte: GE/Por Fred Gomes, Rio de Janeiro


Vamos com tudo no último jogo do Fogão antes da Copa! 🔥 (Botafogo de Futebol e Regatas)

Rodada sim rodada não, quando se trata de Botafogo, o juiz sempre mete a mão. No fim de semana, contra o Bahia, foi desse jeito.

Bem postado em campo, com Valencia pelo meio e a surpresa de Pimpão pela esquerda, o Botafogo veio com uma boa estratégia pra Fonte Nova e envolveu o time da casa contra quem geralmente joga bem. Esteve à frente do placar em três oportunidades, duas delas com um homem a menos, mas não conseguir segurar o resultado até o final. Vencia o jogo por 3 a 2 até o último minuto da partida quando sofreu o gol de empate numa distração imperdoável de Marcinho. O lateral bobeou na marcação de Allione em cruzamento certeiro vindo da direita.

Antes, Kieza abria o placar para o Glorioso aos 11 minutos do 1o. tempo escorando um passe preciso de Lindoso. O meia herdou a bola de uma rebatida errada do zagueiro adversário, na tentativa de interceptar um cruzamento de Marcinho. Com a desvantagem no placar, o Bahia partiu em busca do empate. Foi quando Jefferson apareceu muito bem na partida com pelos três defesas salvadoras.

TUDO IGUAL EM SALVADOR! Botafogo fica três vezes na frente do placar, mas Allione dá números finais ao jogo nos acréscimos.Adicionar legenda (@FoxSportsBrasil)

O Bota resistia bem ao ataque inimigo até que a arbitragem fez uma lambança daquelas de almanaque. Numa disputa por espaço dentro da área em cobrança de escanteio, o juiz marcou pênalti de Aguirre quando na verdade o jogador Lucas Fonseca do Bahia foi quem cometeu a infração, se jogando deliberadamente sobre o alvinegro. Não satisfeito, o soprador de apito ainda expulsou o uruguaio deixando o Alvinegro com um jogador a menos por todo o 2o. tempo. Régis converteu o pênalti e igualou o marcador.

Mesmo com as dificuldades impostas pela expulsão, o Botafogo pulou na frente novamente aos cinco minutos da etapa derradeira. Kieza escorou de cabeça um cruzamento preciso de Rodrigo Lindoso pela direita e de novo comemorou discretamente. Foi o segundo de Kieza na partida que, com oito gols, se igualou à Brenner na artilharia alvinegra.

GOLS DO BOTAFOGO NA TEMPORADA:  8 Brenner, 8 Kieza, 4 Rodrigo Pimpão, 4 Igor Rabello, 3 Rodrigo Lindoso, 3 Leo Valencia, 2 Luiz Fernando, 1 Marcos Vinícius, 1 Arnaldo, 1 Renatinho, 1 Carli, 1 Gilson e 1 Matheus Fernandes

Tudo ia razoavelmente bem para o Alvinegro até que numa saída de bola equivocada de Marcelo baiano, que havia entrado na vaga de Lindoso, Élber recupera a bola, passa fácil por Moisés e cruza para a entrada de Vinícius que fuzilou o gol de Jefferson. Com a igualdade no placar e com a vantagem de um homem, o Bahia foi buscar a virada impulsionado por sua torcida. Mas quem pulou na frente novamente foi o Botafogo. Léo Valencia cobrou falta no ângulo esquerdo, fora do alcance do goleiro adversário. Um golaço do chileno, o segundo dele com a camisa alvinegra. Bem, o final dessa história vocês já sabem.

Apesar de ter levado três gols, o goleiro Jefferson foi um dos destaques da partida. Do meio pra frente, Matheus Fernandes, que voltava ao time, foi muito bem assim como Valencia que jogou na meia cancha. Lá na frente, destaque absoluto para Kieza que, sempre bem colocado, não desperdiçou as chances que teve marcando duas vezes. O destaque negativo ficou por conta dos nossos laterais. Tanto Marcinho pela direita como Moisés pela esquerda foram displicentes na defesa e tiveram atuações abaixo do esperado comprometendo diretamente o resultado da partida.

Nos últimos cinco jogos, o Botafogo foi prejudicado decisivamente pelas arbitragens em três. Em dois deles, contra Bahia (3 a 3) e São Paulo (3 a 2), com a marcação de pênaltis inexistentes e no outro, com a não marcação de penalidade máxima sobre Kieza no último minuto do jogo contra o Vitória em pleno Nilton Santos. Esse último, na frente do auxiliar de linha que, juntamente com o juiz, se omitiu no lance. Não importa o lugar do jogo. São pesos e medidas diferentes e todas contra o desprezado Botafogo. Até quando vamos ter que aguentar tal situação?

Assim ficou a classificação do Brasileirão após a 11ª rodada! Em qual posição seu time está? (@FoxSportsBrasil)

Com mais esse empate frustrante, o Alvinegro chegou aos 14 pontos na tabela e permaneceu na 12a. posição. Como na semana passada, ficou a quatro pontos do último colocado do G-6, o Palmeiras, com 18 pontos, e agora, a cinco do Atlético-PR, primeiro do Z-4, com nove. Veja o que escrevemos no post de pré-jogo sobre o tema: Um olho no G-6 e outro no Z-4

Dos dezoito pontos disputados como visitante (Sport, Cruzeiro, América, São Paulo, Vasco e Bahia), conquistamos apenas cinco com os empates contra o Sport e Bahia e a vitória sobre o Vasco – aproveitamento de 27,7%.

Já em casa, dos quinze pontos disputados como mandante (Palmeiras, Grêmio, Fluminense, Vitória e Ceará), conquistamos nove com as vitórias sobre Grêmio e Fluminense e os empates contra Palmeiras, Vitória e Ceará – aproveitamento de 60%. A campanha continua fraca com três vitórias, cinco empates e três derrotas – aproveitamento de 42,4%.

Uma vez iniciada a 12a. rodada com São Paulo e Vitória no Morumbi, o Glorioso permanece no limite dos classificados para a Sul-americana. Aumentamos um pouco a média de gols mas o índice ainda é baixo. Foram apenas 14 gols marcados em 11 jogos. Já a defesa, sofreu outros 14 zerando nosso saldo.

Essa é a nossa realidade para hoje quando receberemos o Atlético-PR no Nilton Santos no jogo das 21 horas. Com promoção no preço dos ingressos, espera-se um bom público para a despedida do time antes da parada para a Copa.  pela 12a. O Furacão vem de três derrotas consecutivas e está na zona da degola (17°) com nove pontos ganhos. Jogando fora de casa, o time treinado por Fernando Diniz tem seis empates e quatro derrotas em toda a temporada (GE). Mesmo assim, vamos precisar de inspiração e muito empenho para batermos o Furacão.

Para o desespero da torcida, a dificuldade em pontuar fora de casa tem se repetido nos jogos considerados fáceis no Nilton Santos. E hoje receberemos mais um time que passa por dificuldades e frequenta a parte baixa da tabela. Foi assim nos empates contra o Vitória (1 a 1) e contra o Ceará (0 a 0).

Para piorar o panorama, Joel Carli e Jean, com dores musculares e Aguirre, suspenso, ficam de fora da partida. Em compensação, o zagueiro Yago, recuperado do choque sofrido contra o Ceará, volta a ficar à disposição de Valentim. Com a boa atuação de Marcelo contra ao Bahia, fica difícil saber quem fará dupla com Rabello.

Outro que fica de fora é o meia João Pedro. Jogador do CAP, há acordo entre os clubes para que o jogador não atue na partida. Mesmo com a disponibilidade de Renatinho, o time deve ser o mesmo que enfrentou o Bahia com uma única modificação: Luiz Fernando ou Brenner no lugar do Aguirre que cumpre suspensão. … mais »

Por Felipao Bfr em Blog do FelipaoBfr

Paciente e maduro, jovem centroavante de 19 anos vive expectativa de começar a ser relacionado nos profissionais após se destacar com dois gols em jogo-treino: “Espero ter deixado uma boa impressão”

Se a fase não anda lá muito boa para os atacantes do Botafogo, uma alternativa caseira para tentar estufar as redes pode aparecer em breve: Igor Cássio. O centroavante de 19 anos voltou aos gramados no mês passado, após grave lesão no joelho direito, e foi o grande destaque do jogo-treino contra a Portuguesa-RJ no Nilton Santos, com dois gols. Tudo sob os olhares de Alberto Valentim…

Igor havia acabado de voltar a disputar um jogo oficial, entrando no segundo tempo da vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians, na semifinal da Copa do Brasil Sub-20, quando foi convocado para treinar com os profissionais. Ele acredita ter conseguido mostrar seviço para Valentim em seu primeiro teste com o técnico. E agora espera novo chamado, desta vez para ser relacionado no time principal.

Igor Cássio voltou a jogar em maio após oito meses lesionado (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Mas o garoto não em pressa, apesar de estar em seu último ano nas categorias de base. Embora jovem, ele mostra maturidade para ter paciência e não ficar ansioso. E também para não sentir o peso da expectativa da torcida por uma promessa ofensiva que consiga vingar. No Botafogo desde 2013, Igor é apontado internamente como a próxima joia a virar realidade e tem contrato até setembro de 2020.

O Botafogo tem revelado muitos destaques defensivos nos últimos anos, como por exemplo Dória, Igor Rabello, Matheus Fernandes, Gabriel, Marcelo Benevenuto… Porém, o último atacante prata da casa que se destacou nos profissionais foi Ribamar em 2016, quando foi vendido ao Munique 1860, da Alemanha, por ‎€ 2,5 milhões (R$ 9 milhões na época).

Confira a entrevista com Igor Cássio:

GloboEsporte.com: Como está sendo esse seu retorno após a grave lesão?

Igor Cássio: Está sendo muito bom. Me adaptei mais rápido do que pensava, e o clube vem me ajudando bastante nessa minha volta aos campos.

Atacante precisou ser operado após romper os ligamentos do joelho (Foto: Divulgação)

Ainda sente receio com alguns movimentos do joelho?

Não. No começo eu sentia um pouco de receio em alguns movimentos, mas com os treinamentos, aos poucos, você vai perdendo esse medo.

Você só disputou um jogo desde que voltou, contra o Corinthians​ na Copa do Brasil Sub-20. Como está a ansiedade por mais jogos oficiais?

Muito grande. Venho treinando bastante forte para quando chegar a hora estar bem preparado.

Mas recentemente teve um jogo-treino contra a Portuguesa que você arrebentou, né? Como foi?

Foi meu primeiro jogo-treino com o Valentim no comando do Botafogo, espero ter deixado uma boa impressão.

Jovem já passou períodos no profissional na época de Jair Ventura (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Acha que deu para chamar a atenção do Valentim?

Espero que sim! Tomara, mas estou muito tranquilo e tenho paciência para aceitar o tempo exato das coisas.

Ele falou com você depois disso? O que disse?

Sempre fala. Conversa e orienta nós, que somos mais novos. Estou muito calmo e amadurecido.

Como define o seu estilo?

Me acho um centroavante moderno, que além de jogar dentro da área sabe jogar também fora, usando os lados do campo. E acho que isso me ajuda muito.

Igor ao lado de Matheus Fernandes e Eduardo Barroca na seleção sub-20 (Foto: Arquivo pessoal)

Você está em seu último ano de base, né? Acha que começará a ser relacionado para os jogos dos profissionais ainda esse ano?

É para isso que trabalho todos os dias. Meu foco hoje está em ajudar o Botafogo. Quero dar o meu máximo pelo sub-20 para que, se aparecer a oportunidade na equipe principal, eu esteja bem preparado… mais »

Fonte: GE/Por Felippe Costa, Fred Gomes e Thiago Lima, do Rio de Janeiro

Um olho no G-6 e outro no Z-4

Publicado: 9 de junho de 2018 em Campeonato Brasileiro


Pra cima, FOGO! 🔥 Vamos fortes em busca dessa vitória! 💪🏼 (Botafogo de Futebol e Regatas)

Um olho no G-6 e outro no Z-4. Foi desse jeito que o Botafogo terminou a décima rodada do Brasileirão.

Com o empate frustrante contra o Ceará (0 a 0) no Nilton Santos, o Alvinegro chegou aos 13 pontos e permaneceu na 12a. posição a quatro pontos do São Paulo, último colocado do G-6 com 17 pontos, e a quatro do Atlético-PR, primeiro colocado do Z-4 com nove. Justamente os quatro pontos jogados fora com os empates contra o Vitória e Ceará no Nilton Santos.

Essa é a nossa realidade pra domingo quando enfrentarmos o Bahia na Fonte Nova, às 16h, pela 11a. rodada do Brasileirão.

Jogando em casa no meio de semana contra o lanterna do campeonato, o time do Seu Valentim decepcionou a torcida novamente num dia festivo para Jefferson que se tornava o terceiro jogador que mais vestiu a camisa do clube com 454 jogos. A sina de recuperar desesperados se confirmou. Isso depois de fazer uma partida consistente contra o Vasco em que bateu o rival por 2 a 1 em São Januário com  um primeiro tempo elogiável e um segundo de luta para manter o resultado. E essa alternância nas atuações vêm minando a paciência do torcedor: um jogo vai razoavelmente bem e no seguinte, uma decepção.

A dificuldade em pontuar nos jogos fora de casa vai se repetindo nos jogos considerados fáceis, no Niltão. Foi assim no empate contra o Vitória (1 a 1) e agora no 0 a 0 contra o Vovô. Falávamos disso no post de pré-jogo, veja: Vencemos a primeira fora e precisamos voltar a vencer em casa. Que venha o Ceará!…

NADA DE GOLS! @Botafogo e @CearaSC fazem um jogo sem muito brilho e acabam ficando no zero a zero. A partida marcou o 454º jogo de Jefferson, que se tornou o 3º jogador com mais partidas pelo Glorioso (@FoxSports)

Cresce entre a torcida, a sensação de que o técnico está perdido a cada escalação, a cada resultado, a cada substituição. Seu discurso exalta os “bons” jogos feitos contra São Paulo e Vasco quando saímos do Morumbi derrotados por 3 a 2 com pênalti inventado pelo árbitro e de São Januário com a vitória por 2 a 1.

É certo que, bem postado em campo e com a pegada forte de Jean à frente da zaga, o time venceu o Clássico fazendo o placar que precisava na primeira etapa e tal… A pergunta que fica é por que não teve o mesmo rendimento contra o lanterna que não ganhou de ninguém até agora?

O resultado de 0 a 0 na noite de quarta-feira foi muito ruim para as pretensões do clube que contava com os três pontos para encostar no G-6. Apático desde o começo da partida, o time saiu vaiado ao final do jogo em razão da  baixa qualidade do espetáculo. Com uma escalação que não deu liga com João Pedro pelo meio, o Bota encontrou enormes dificuldades para vencer as linhas defensivas do adversário e não achou alternativas mesmo após as alterações. Muito pela inoperância do meio de campo que não fazia a bola chegar em Aguirre e Kieza. Com um jogo baseado nas bolas alçadas na área e o apoio dos laterais, a estratégia deu em água diante do péssimo desempenho de Marcinho e Moisés que tiveram as piores atuações desde que foram conduzidos à condição de titular por Valentim. Para piorar as coisas, Carli teve que deixar o campo com uma pancada nas costas e seu substituto, Yago, deixou o campo de ambulância após dois choques de cabeça com o goleiro adversário. Com menos um em campo, já que Valentim havia feito as três substituições, quase o caldo entorna de vez quando o Ceará partiu pra cima em busca da vitória.

Assim ficou a classificação do Brasileiro após a 10ª rodada! Em qual posição seu time está? (@FoxSportsBrasil

Se fora as coisas não vem acontecendo a contento, imagine perder pontos considerados certos jogando em casa. Dos quinze disputados como visitante (Sport, Cruzeiro, América, São Paulo e Vasco), conquistamos apenas quatro com um empate contra o Sport e uma vitória sobre o Vasco – aproveitamento de 26,6%.

Já em casa, dos quinze pontos disputados como mandante (Palmeiras, Grêmio, Fluminense, Vitória e Ceará), conquistamos nove com duas vitórias, contra Grêmio e Fluminense e três empates, contra Palmeiras, Vitória e Ceará – aproveitamento de 60%.

Ao todo foram três vitórias, quatro empates e três derrotas – aproveitamento de 43,3%.

Encerrada a 10a. rodada, o Glorioso ocupa a 12a. posição, no limite dos classificados para a próxima Sul-americana. Esse foi o primeiro 0 a 0 da campanha mas o rendimento do ataque continua baixo. Foram apenas 11 gols marcados em dez jogos. Já a defesa, sofreu outros onze zerando nosso sald…. mais »